terça-feira, 27 de abril de 2010


A cor meio morta inspira mais que canções,
é o mundo em devaneios lentos
e ainda assim bem marcados no traste gasto
O rugir teu encanta e completa o meu ser
A alma afogada em semi-tons
não menos resultante que teus versos
a melodia se encaixa roçando em minha voz
a modulação do existir, do ser mais,
o expressar e a calma te refazem em mais uma anestesia do ser.

2 comentários:

*I$å* FoR yOu I wiLL disse...

Faz uma músicaa *_______*

Clara Freitas disse...

Até faço, tentarei. =)